quinta-feira, dezembro 8

Nota V

Se eu tivesse a coragem de pisar por cima dos teus sentimentos e ignorar a tua condição, começaria agora a falar um bando de boas verdades. Daquelas bem ardidas, do fundo poço. Do fundo de peito. Se eu tivesse a falta de noção necessária, eu começaria agora mesmo.

Começaria pelas mais doídas.

Se eu tivesse vergonha na cara, falaria tudo junto, que era pra não sobrar nada escondido. Eu olharia a tua expressão mentirosa e riria, porque a verdade tem graça - um senso de humor negro. E aquelas coisas bem doloridas (que para ti são mais é bem feitas) eu te faria todas. Porque a verdade tem ridículo, tem retorno. Tem enredo.

E tem feridas.

Se eu tivesse menos cortes eu te mostraria todos. E eu te contaria a história em cada um deles. E depois te cortaria da história da minha vida. Se eu tivesse menos cortes, menos empatia e compaixão, eu te contaria um belo punhado de coisas. Até acabarem-se as palavras medidas.

2 pessoa(s) disse(ram) que:

Tainã Almeida disse...

Os adultos vivem dizendo que a adolescência é um dos perídos mais
marcantes da vida. Mais o que o adolescente pensa disso? (sinopse do meu blog)
Acessa o meu blog?
"Blog de uma adolescente"

http://blogdeumagarotaadolescente.blogspot.com/

Espero a sua visita, se gostar do meu blog, segue lá, ficarei muito feliz.
Desde já obrigada, tenha uma ótima semana.
Atenciosamente Tainã Almeida.

Gabriela Antunes. disse...

Obrigada pela visita, Tainã.

Espero te ver de volta por aqui :)